Denis Rousseau

Denis Rousseau foi diretor do escritório da Agência France-Presse (AFP) em Havana. Pouco antes de sair de Cuba para assumir seu novo cargo de chefe de redação do escritório regional da AFP em Estrasburgo, as autoridades cubanas comunicaram oficialmente à embaixada francesa em Havana que não gostariam de vê-lo novamente no país, onde sua presença tornara-se indesejável.Nos meses que precederam sua partida, a imprensa cubana atacou-o diversas vezes, acusando-o de ser um “agente americano”. O órgão de imprensa dos sindicatos oficiais afirmou que Denis Rousseau lançava mão de “manipulação e preconceitos políticos” para incentivar a propaganda contrária à Cuba. As autoridades também afirmaram que o diretor do escritório da AFP em Havana, juntamente com seu colega de jornalismo, Pascal Fletcher, da agência Reuter, eram “o sustentáculo fundamental da propaganda, dirigida aos estrangeiros, sobre a pretensa existência de dissidentes em Cuba”.Diplomado pela Escola Superior de Jornalismo de Lille, Denis Rousseau fez toda a sua carreira profissional na AFP, tendo trabalhado no escritório de Marselha, na sede internacional em Paris e nos escritórios de Madri, Havana e Estrasburgo.


 


 

Obras do autor

Ilha do doutor Castro, A